Curso Marketing Pessoal e Produção de conteúdo

Muitas pessoas pensam em ser tradutor, mas não fazem a mínima ideia por onde começar e nem o que é preciso estudar.

E hoje, já não é mais suficiente ter apenas um bom curso, você precisa ir além.

Outra dúvida bem frequente é que algumas pessoas confundem tradutor com intérprete e não é a mesma coisa, inclusive requerem competências diferentes.

Mas o meu foco aqui hoje será no tradutor, qual sua área de atuação, quais são as habilidades necessárias, o que é preciso estudar e muito mais.

O que faz um tradutor?

Antes de mais nada, caso você esteja pensando em ser um tradutor, vale a pena saber o que ele faz. Assim, você já tem uma noção se tem ou não perfil para a profissão.

Então, como o próprio nome já diz, o trabalho é traduzir textos, vídeos, sites, apps, videogames, treinamentos e muito mais de um determinado idioma para outro.

Tenha em mente que não é suficiente só traduzir, se fosse assim, bastaria acessar o Google Tradutor e estava tudo resolvido.

Você precisa desenvolver algumas técnicas e mais importante, saber interpretar um texto e adequá-lo, de forma que seja coerente e dentro do contexto.

Uma outra habilidade exigida é a concentração, pois é um trabalho que requer foco, além de muita disciplina, principalmente porque na maior parte das vezes, o profissional é o responsável por gerir seu tempo e sua rotina de trabalho.

O que estudar para ser tradutor?

Só para você saber, eu sempre gostei dessa área de línguas e resolvi fazer a faculdade de Letras, porque achei que era a única maneira de me tornar um tradutor.

Não posso dizer que não me ajudou, mas não era o suficiente. Percebi que faltava alguma coisa, eu precisava me especializar. Caso contrário, não conseguiria me destacar no mercado de trabalho.

Então, além de uma graduação, a minha dica é que você procure cursos de especialização, uma pós pode ser uma opção.

Mas se você quer uma coisa mais rápida, uma outra alternativa é fazer uma pesquisa sobre cursos mais específicos de tradução.

Agora, vamos supor que você venha de outra área, como marketing, psicologia ou direito. Você pode direcionar a tradução para a sua profissão.

Além de todos esses cursos, é essencial que você tenha noções básicas de informática, porque é uma das mais importantes ferramentas de trabalho.

E tem mais uma coisa: mesmo que você domine vários idiomas, o ideal é escolher um. Além do trabalho ser melhor executado, é a maneira para você se diferenciar dos outros profissionais.

Uma outra questão é manter-se sempre atualizado, ainda mais com o mundo tão globalizado, onde a cada dia surge uma novidade.

E se você não procurar saber o que de novo existe no campo da tradução, vai perder espaço para outros profissionais.

Uma dica é assistir filmes, séries, documentários, ouvir música. Quanto mais contato você tem com a língua, melhor será a sua fluência.

E nunca se esqueça da sua língua materna, pois é necessário que seu texto não tenha erros de gramática, de grafia e concordância.

Escrita criativa e Stortylling

E agora, como começar?

Se você já tem todos esses conhecimentos, é o momento de colocar em prática um plano de ação. O que seria isso? Seria você fazer um planejamento e a partir daí, oferecer os seus serviços.

Veja abaixo algumas perguntas para você se fazer:

  1. Eu vou oferecer quais serviços para meus clientes?
  • Tradução de textos
  • Tradução de vídeos
  • Transcrições
  • Revisão
  • Interpretação

Esses são apenas exemplos de alguns serviços. Pense em qual deles tem mais facilidade e naquele que você mais gosta.

2. Qual é a área que mais me identifico?

Aqui é um dos pontos principais, por quê? Porque quando você se especializa em uma determinada área, é vantajoso para o seu cliente e para você também.

Por exemplo, você se especializa na tradução de termos médicos e assim, o seu público alvo serão os profissionais da área de saúde.

3. Quais são as ferramentas de trabalho disponíveis?

Em primeiro lugar, geralmente, o tradutor trabalha em casa, logo, ter um ambiente apropriado é o primeiro passo. Um local silencioso, livre de distrações e bem organizado.

Ter um bom computador, com acesso à internet, é imprescindível. E vale muito a pena investir!

4. Encontrando clientes

Hoje, com a facilidade da internet, o mercado de trabalho para um tradutor está bem favorável.

São diversas as plataformas onde você pode disponibilizar os seus serviços, basta criar um perfil ou inserir um portfólio.

Leia também:

Na maioria das vezes, o trabalho é freelancer, ou seja, você trabalha de forma autônoma.

Mas lembre-se de agregar bastante valor a esse perfil e não se esqueça de incluir os cursos que fez, experiência, trabalhos realizados, área de especialização, etc.

Conclusão

Você acabou de ver o que é necessário para ser um tradutor, especialmente no aspecto relacionado aos estudos. Por isso que os cursos de especialização podem fazer toda a diferença.

Além disso, eu te dou a sugestão, até baseado na minha experiência, que se dedique a uma área específica, pois é o caminho para você se diferenciar dos outros profissionais.

Agora, não pense que é um trabalho fácil porque não é, mas se você for uma pessoa disciplinada e, principalmente, ser apaixonada por traduções, vai sair na frente.

E não se esqueça de manter-se constantemente atualizado. É fundamental que você acompanhe o que está acontecendo no mundo e tenha sempre em mente que adquirir novos conhecimentos é o melhor para alavancar a sua carreira.

babbel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.