Curso Marketing Pessoal e Produção de conteúdoPowered by Rock Convert

Se escrever é uma arte, traduzir um texto pode ser considerado um verdadeiro ato de genialidade.

Para começar, a tradução é um ato de criação, e não de reprodução de conteúdo. Não se trata, portanto, de simplesmente transportar todo um conjunto de palavras de uma língua à outra.

A confusão, por sinal, costuma render muitas gafes na hora de traduzir.

A utilização do dicionário é essencial em todo o processo de tradução, que também está ligado a uma ampla e profunda pesquisa.

Contudo, as boas traduções não se baseiam apenas no significado literal das palavras. É aqui, repare, que entra em cena o mencionado gesto criativo.

Afinal, um tradutor qualificado precisa encontrar as expressões que melhor se encaixam na mensagem que deve ser transmitida.

Enquanto faz isso, ele deve lidar com uma série de fatores, principalmente culturais. Com uma boa dose de cuidado, atenção e criatividade, o tradutor consegue desenvolver algo original.

No entanto, é preciso se policiar para que o excesso de liberdade não se transforme em gafes na hora de traduzir.

Mas, quais seriam as gafes mais comuns? Para ilustrar o tema, nós resolvemos comentar algumas delas. Continue a leitura para conhecer!

Leia também:

Gafes na hora de traduzir que ficarão para a posteridade

Boa parte das gafes de tradução, infelizmente, ficam gravadas. Existem diversos casos de pessoas que decidiram tatuar uma palavra ou expressão em outra língua. Devido a uma pesquisa malfeita, elas acabam tatuando expressões, no mínimo, engraçadas.

Basta algumas letras e traços fora de lugar para que uma palavra se transforme em outro significado. Ocasionalmente, o engano está até na escolha de algarismos romanos.

Basta inverter ou trocar os símbolos para que o número imaginado desapareça.

O desconhecimento pode fazer com que expressões comuns, como “nada é por acaso”, se altere para “isso nada (de nadar) acontece por acaso”.

Para alcançar esse resultado estranho, basta incluir o verbo swim, que significa literalmente nadar, em inglês. Eis o resultado: “It swims happens by chance” — fica difícil até entender a ideia inicial.

Escrita criativa e StortyllingPowered by Rock Convert

Uma prova de que a tradução sempre deve considerar a cultura adotada por diferentes países é o gesto “joia”. É o mesmo usado para dizer que algo é legal, que alguém “curtiu”.

Trata-se de uma das principais marcas de uma grande rede social. Porém, algumas regiões da França (se não o país todo) o interpretam de outra forma. Por lá, erguer o polegar significa algo como “acabou a brincadeira”.

No meio publicitário, algumas campanhas também serão lembradas devido a gafes na hora de traduzir. Uma delas é a campanha de 2009 do banco HSBC. Para a surpresa da empresa, na época, o slogan assume nothing foi erroneamente traduzido no sentido de do nothing.

Com as devidas variações, o sentido de “não fazer nada” foi registrado em vários países, como o Brasil. Na verdade, a tradução mais ideal teria de caminhar na linha do “deixe com a gente”.

A ideia do banco era transmitir uma mensagem tranquilizadora aos clientes, que não teriam de fazer nada. Afinal, o dinheiro deles estaria depositado no lugar certo, com pessoas competentes para cuidar dele.

A campanha, em essência, atenderia às expectativas de qualquer instituição financeira que visa conquistar a confiança dos clientes.

No entanto, a organização deveria ter se preocupado com a forma como a mensagem chegaria a todos os países envolvidos.

Sem dúvida, a tarefa é desafiadora, mas fundamental para manter a credibilidade de quem pretende se fazer compreendido. O “do nothing”, diga-se, significa “não faça nada”.

Gafes que podem causar a morte

Há ainda os casos da área médica, na qual qualquer erro pode ser fatal. Aqui, o que está em jogo é ainda mais valioso do que o dinheiro: a vida. Um episódio clássico para exemplificar as graves consequências é a tradução relacionada à intoxicação.

Em inglês, o termo intoxicated está ligado a uma contaminação provocada devido ao uso de drogas ou ainda alguém que está ébrio, bêbado.

Em espanhol (em mais de uma variante dialetal), intoxicado está mais associado a um problema alimentar.

Esses e outros equívocos similares tendem a comprometer o diagnóstico e, consequentemente, a adoção de um tratamento apropriado ao paciente.

Esses foram apenas alguns casos mais emblemáticos relacionados a gafes na hora de traduzir.

Com toda a certeza, existem muitas outras histórias, que ora são engraçadas e, por vezes, trágicas em múltiplos sentidos. Precisa de uma tradução e não deseja passar por situações constrangedoras?

Certifique-se de que o tradutor escolhido tenha a experiência necessária para produzir uma tradução à prova de falhas.

Gostou do conteúdo? Compartilhe agora mesmo com os seus amigos nas redes sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.