Curso Marketing Pessoal e Produção de conteúdoPowered by Rock Convert

Para quem está ingressando no mercado, trabalhar como tradutor voluntário pode ser um bom caminho para conseguir alguma experiência. Afinal de contas, todo mundo precisa começar de algum ponto, e essa é uma boa porta de entrada.

A tradução voluntária é praticada há muitos anos, e pode realmente ser interessante para enriquecer um currículo. Mas, é importante saber a diferença entre o voluntariado e o trabalho gratuito – acredite, são duas coisas distintas.

A falta de experiência pode, sim, ser um empecilho para conseguir novos trabalhos. Na maioria das vezes os contratantes querem ter certeza de que o profissional contratado pode dar conta do recado.

E para isso exigem não somente uma boa formação e alguma vivência com o idioma, mas também – e principalmente – um passado profissional nessa atuação.  

A experiência pode não garantir bons resultados, mas com certeza é um meio de deixar o contratante mais seguro com relação à qualidade do trabalho.

A possibilidade de provar a capacidade de tradução, de mostrar o quanto o profissional é capacitado, é com certeza um diferencial importante.

É pensando nisso que atuar como tradutor voluntário pode ser uma boa ideia. Afinal, é um caminho para que você tenha um portfólio interessante quando decidir ingressar na carreira.

Leia também:

Quando vale a pena fazer tradução voluntária?

A primeira coisa importante aqui é entender que o trabalho voluntário deve lhe trazer algum prestígio, mas também trata-se da oportunidade de contribuir com a sociedade.

Nesse caso, você está desistindo de obter um pagamento, mas precisa ter algum benefício com isso.

Quer seja a possibilidade de trabalhar com algum tradutor experiente, ou ainda ter a chance de ter algum material de qualidade e que traga algum conhecimento como tradutor.

O voluntariado é regulamentado no Brasil pela LEI Nº 9.608. Portanto, é uma atividade legal, que deve ter finalidades cívicas, culturais, educacionais, científicas, recreativas ou de assistência à pessoa.

Ser tradutor voluntário, mesmo depois de ter experiência

Você pode ser tradutor voluntário em começo de carreira, como uma estratégia para obter experiência e construir um portfólio. Mas, nada impede que continue com essa tarefa mesmo quando já estiver estabilizado na carreira.

O voluntariado não é uma via de mão única. Ao mesmo tempo em que você obtém experiência e prática na profissão também ajuda alguém que precisa a ter acesso a conteúdos.

É uma troca geralmente movida por valores éticos, morais e sociais. Então o voluntariado pode ser mantido em sua carreira mesmo com o passar do tempo. O importante é escolher projetos que tenham valor para você.

Onde encontrar trabalho voluntário?

Escolas, orfanatos, bibliotecas são alguns dos locais onde você pode encontrar trabalho como tradutor voluntário. Mas, você pode ir além e buscar por nomes de escala internacional, como a Anistia ou a ONU.

Esses órgãos frequentemente escalam tradutores para suas equipes, e servem como uma grande e importante escola para quem quer trabalhar com causas humanitárias e quer obter experiência com grandes traduções.

Outra forma interessante de ter acesso a essas oportunidades é através dos grupos e das comunidades virtuais voltados para tradutores. Você pode encontrar, por exemplo, grupos no Facebook onde profissionais de sua área se reúnem.

Fique de olho nas oportunidades, interaja e esteja sempre presente nas discussões para ser notificado quando surgir uma possibilidade de prestar serviço como tradutor voluntário.

Escrita criativa e StortyllingPowered by Rock Convert

Dicas para o tradutor voluntário

Não pense você que o trabalho como tradutor voluntário é menos importante ou recebe menos cobrança do que um trabalho remunerado. Muito pelo contrário: ele serve também de escola para lidar com prazos, pressões e testar sua capacidade de lidar com projetos de tradução.

  • Qualidade:

A qualidade deve ser impecável. O fato de trabalhar como tradutor voluntário não diminui em nada a importância de entregar um resultado satisfatório.

Você deve ter responsabilidade e deve agir profissionalmente, dedicando-se o máximo para conseguir finalizar o projeto dentro dos padrões esperados, ou até surpreender com uma qualidade ainda maior.

Lembre-se “tudo o que semearmos iremos colher”. Logo, pode acontecer de conhecer um gestor de projetos em um trabalho voluntário que goste de seu trabalho e o indique para um projeto pago.

  • Contribua com o trabalho:

O tradutor voluntário também deve contribuir para enriquecer o projeto. Pense nisso como uma oportunidade de somar ideias. Ao invés de apenas pegar o material para traduzir, tente agregar, sugerir coisas etc.

  • Aproveite para se promover:

Também é uma excelente oportunidade para se promover e conquistar novos clientes, inclusive pagantes. Converse com as pessoas, fale sobre o seu trabalho, coloque-se à disposição.

O voluntariado costuma ser uma excelente porta de entrada para o mercado de trabalho em diversas áreas e na tradução não é diferente. Para isso, porém, você precisa provar qualidade e profissionalismo.

Quais cuidados o tradutor voluntário deve tomar?

Apesar de o voluntariado ser uma forma interessante de se obter experiência e conseguir enriquecer o currículo é preciso ter perspicácia para atuar dessa forma.

Existe uma grande diferença entre prestar um serviço voluntário e trabalhar de graça.

Infelizmente há muita empresa que se aproveita da necessidade de obter experiência para simplesmente não remunerar os tradutores mesmo dispondo de verba para isso.

Não existe uma fórmula mágica para identificar as oportunidades que realmente valem a pena. O importante é mesmo confiar no seu feeling e prestar atenção na proposta que é feita.

O trabalho voluntário deve ter uma finalidade social, ética. Você deve ajudar alguém em alguma coisa, deve prestar um serviço que terá utilidade para pessoas menos favorecidas, para grupos de risco, ou uma finalidade educacional etc.

É a diferença, por exemplo, entre traduzir gratuitamente para uma ong que trabalha na defesa dos direitos humanos em todo o mundo e traduzir uma campanha para uma marca de roupa de sucesso que vai faturar milhões em cima disso.

Ser voluntário não significa aceitar todos os trabalhos

Mesmo entre as causas mais nobres você deve ter essa sensibilidade para escolher aquilo que lhe parece nobre, que tenha relação com seus valores. Não pense que você deve aceitar todo e qualquer trabalho voluntário.

Além disso, para trabalhar como tradutor voluntário você deve ter muita atenção com o prazo de entrega. Cumprir o prazo é uma das coisas mais importantes no mercado, então, não assuma diversos projetos de uma vez.

Lembre-se que o voluntariado tem a finalidade de lhe ajudar a obter experiência e a ingressar no mercado. Então, defina prazos que sejam confortáveis para você, que possam ser cumpridos dentro das suas possibilidades etc.

  • Quando começar?

Muitos tradutores de sucesso começaram a sua carreira dessa forma e alguns ainda mantém o voluntariado entre suas prioridades. Quanto antes você começar, melhor.

A tradução é um mercado onde a experiência conta muito na hora de conquistar os melhores projetos. Se você quer entrar no mercado já preparado para lidar com ele aproveite todas as oportunidades.

Ser um tradutor voluntário não é uma obrigação, mas com certeza é um caminho para conhecer melhor a profissão, construir um bom portfólio e enriquecer o seu currículo. Além disso, também pode lhe servir como experiência pessoal.

Não se esqueça de inscrever-se em nossa newsletter para receber todos os posts em seu email.

babbelPowered by Rock Convert

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.